BBI of Chicago
Agosto 2021

Empreendedorismo digital: um olhar sobre as Fintechs 

Por: Ana Luiza Oliveira.

As instituições financeiras, às vistas do consumidor, ficaram estagnadas durante muito tempo devido à pouca adaptabilidade do mercado, no qual o modelo de negócio era praticamente fixo e semelhante entre as empresas do mesmo ramo. A estrutura do negócio que se baseava na utilização de agências para realização de negociações financeiras, das mais simples às mais complexas, criava certo desconforto em questão das dificuldades de pagamento, alto tempo de espera e grande burocracia. Desde cedo, as empresas tradicionais foram relutantes à utilização da tecnologia e da internet para a realização de alguns dos seus serviços, fato que mudou com o surgimento das fintechs.  
 
Fintech é um termo que surgiu da união das palavras financial e technology designado para startups cujo objetivo é otimizar o sistema financeiro. Essas empresas inovaram o mercado ao reduzir consideravelmente o tempo de realização dos trâmites financeiros, gerar novas formas de pagamento e praticamente acabar com as taxas impostas ao consumidor. Ao reestruturar o modelo de negócio retirando a variável física (agências bancárias) e redirecionando esses custos para marketing e desenvolvimento de plataformas digitais seguras, de fácil utilização e eficientes, essas empresas passaram a atingir um novo público-alvo: os jovens.   
 
Esses jovens estavam começando a adquirir independência financeira ou ingressando no mercado de trabalho e não se identificavam com as tecnologias ultrapassadas usadas pelas empresas tradicionais. As fintechs forneceram os serviços bancários de maneira fácil e prática para um grupo que tem facilidade com tecnologia e que está sempre conectado. Essa reviravolta no mercado forçou as empresas tradicionais a aderirem ao empreendedorismo digital atualizando seus sistemas e migrando certos serviços para aplicativos para smartphone.  
 
Essa mudança nas instituições financeiras trouxe para o consumidor uma facilidade no ingresso do mundo financeiro, abrindo portas para até mesmo para o mercado de investimentos. Atualmente, o público jovem passou a ter interesse em investimentos graças ao fácil acesso por meio dos aplicativos das fintechs, o que mudou o mercado de especulação do país e auxiliou na criação de diversos cursos na área. As fintechs, ao associarem seus modelos de negócio à tecnologia, criaram uma revolução que atinge diversos ramos da sociedade atual, o que demonstra a eficiência da busca por um empreendedorismo digital.  



REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BARBOSA, Roberto Rodrigues. Fintechs: A atuação das empresas de tecnologia de serviço financeiro no setor bancário e financeiro brasileiro. Universidade federal do Rio Grande do Sul – Escola de Administração - Programa de pós-graduação em Administração – Mestrado Profissional. Porto Alegre - RS, 2018.  
 
NASCIMENTO, Franklin Martins. A evolução das fintechs no sistema financeiro brasileiro: Uma aliada ou ameaça aos bancos? Universidade do sul de Santa Catarina. Palhoça – SC, 2019.  
 
PASSOS, Danielle Sandler dos. Organizações na era pós-industrial: a complexidade, as fintechs e os bancos. Instituto Universitário de Lisboa. Lisboa – Portugal, 2017. 


 

Conheça outros artigos de nossos alunos: